Rolé com Mini Roadster S


Final de inverno em São José do Rio Preto, interior de São Paulo. O sol típico do Noroeste Paulista brilha forte no céu quase sem nuvens, dando a pinta de que as estações quentes se aproximam. A temperatura faz o termômetro bater na casa dos 37 graus Celsius, mas no fim da tarde, a brisa característica do inverno bate no rosto, secando qualquer resquício de suor. Foi nesse clima de cabelos ao vento que o Hi-Mundim testou o modelo conversível Mini Cooper Roadster S.

O carro já chama atenção com a capota erguida, mas a reação das pessoas ao verem a capota recolhida impressiona. Os recatados olham com discrição, os mais ousados pedem carona. Mas carona neste modelo é complicado. Só tem lugar para duas pessoas. Com isso, o porta-malas ganha um pouco de espaço, mas não muito. A capacidade é de 240 litros. Atrás dos bancos do motorista e do passageiro tem algum espaço para, por exemplo, duas bolsas.

O Mini Cooper Roadster S tem motor 1.6 quatro cilindros à gasolina, com turbo de duplo fluxo, comandos variáveis de válvulas, que rende 184 cv a 5.500 rpm e 24,4 mkgf de torque a 1.600 rpm. O câmbio é automático de seis marchas, com borboletas no volante. Segundo o fabricante, faz de 0 a 100 km/h em 7 segundos e tem velocidade máxima de 227 km/h. A suspensão é bem rígida e os pneus são de perfil baixo, por isso fuja dos buracos, pois as pancadas são fortes.

A capota é elétrica e leva aproximadamente 12 segundos para abrir. A remoção é bem fácil: basta girar uma alavanca acima do retrovisor interno e empurrá-la ligeiramente para cima e para trás. Em seguida, acionar um botão que fica no teto. Para voltar, basta fazer a operação inversa.

Equipado com ar-condicionado, sistema de som com 10 alto-falantes e amplificador de 480 watts e sistema de navegação com tela colorida de 6,5 polegadas, Bluetooth, entradas de áudio e USB, o modelo também tem atrações suficientes para ser curtido de capota fechada.

Na rua com estilo

Além do visual muito atraente e retrô, o Mini Roadster S agrada também pela dirigibilidade. O volante é pequeno (fortalecendo o perfil esportivo) e a direção é elétrica servoassistida. Ou melhor, ela fica mais pesada conforme a velocidade aumenta. A troca de marchas é rápida. Na cidade, o computador de bordo registrou consumo médio de 9 km/l de gasolina.

O Mini Roadster tem freios ABS, sistema de distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e controle dinâmico de estabilidade (DSC) e de tração (DTC). Tem aerofólio traseiro, acionado por um botão localizado no teto do carro. Há airbags frontais, cintos de segurança de três pontos e indicador de danos ao pneu.

Na hora de dirigir com a capota fechada, a visibilidade fica comprometida, pois não há janela lateral e o vidro traseiro é minúsculo. Por isso, contamos somente com os retrovisores.

Andar com estilo e esportividade tem um preço: R$ 144.950. Gostou? Aí vai uma dica do Hi-Mundim: não esqueça de aplicar o filtro solar!

Confira imagens do nosso rolé no Hi-Mundim Channel

*O veículo foi cedido para teste pela Eurobike