Parque dos Sonhos tem aventura acessível a todos


Rafting, rapel, arvorismo, tirolesa…Os esportes de aventura são as principais atrações em Socorro, SP. No entanto, durante a nossa estada por lá, no final de junho, a vazão do rio do Peixe estava baixa por causa da falta de chuvas e não foi possível fazer o rafting, uma das atividades mais procuradas pelos turistas. Então fomos experimentar a tirolesa no Parque dos Sonhos. Para quem não sabe, trata-se daquela corda que liga dois pontos, na qual você vai pendurado. Foi a nossa primeira vez.

E já fomos experimentar a tirolesa voadora. A diferença entre ela e as outras é que o praticante vai deitado de bruços (nas outras você vai sentado), de frente e atinge uma velocidade maior. O Parque dos Sonhos oferece oito tipos de tirolesas. Elas podem ser feitas por todos, inclusive crianças e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. As tirolesas variam entre 80 metros e 1 Km de extensão. E vão de 3 a 140 m de altura.

Nós já começamos pela “top”, a maior. A Voadora tem 1 quilômetro de extensão e 140 metros de altura. O praticante chega a uma velocidade de 65,2km/h. Esta tirolesa atravessa de São Paulo para Minas Gerais. Um baita visual da Serra da Mantiqueira.
Para subir até lá, só de trator. O trajeto é íngreme e longo. Lá em cima, tudo tranquilo. Mas essa tranquilidade é abalada no momento em que você “veste” o equipamento e se coloca de bruços, de frente para o precipício.

Ali, suspensa, eu pensei “O que estou fazendo aqui?”. Mas já era tarde. O cara te dá instruções: “Fique com os braços junto ao corpo para não perder velocidade. Se você parar antes, fique calma, jogaremos uma corda”. Ah, tá…rs

Hora de ir. Ele te puxa e dá o impulso! ESTOU VOANDO!!!! Nos primeiros três segundos fiquei assustada. Mas depois, a adrenalina é tanta que você só pensa em curtir o visual e a experiência. São cerca de 40 segundos de visual exuberante do vale do rio Cachoeirinha. DEMAIS! Uma experiência única e que passa muito rápido. Quando você desce, a vontade é fazer novamente.

Dali, fomos para outras duas: do Arrepio (250 metros de altura e 35 metros de extensão) e do Calafrio (200 metros de altura e 25 metros de extensão). Estas são bem rapidinhas. Para mim, só uma dificuldade: nessas duas o praticante vai sentado e não conta com a ajuda do instrutor para sair. Você deve andar até uma plataforma e dali sair “voando”. Bom, demorei alguns minutos até decidir saltar, rs. Mas é uma delícia! Ao final, você quer refazer tudo!

Se não tiver hospedado ali, você pode utilizar o “Day Use”, que dá direito a café da manhã, almoço e café caipira, cinco atividade de aventura, sendo uma aquática e uso de toda área de lazer do hotel, como a cachoeiras, piscina, saunas seca e úmida, salão de jogos e as atividades de aventura, exceto chalés e apartamentos. Este custa R$ 165, adulto e R$ 110, crianças de 5 a 12 anos.

O pacote de sexta a domingo para casal custa R$ 800, com quatro refeições diárias, seis atrações e todas as tirolesas (uma vez por dia cada atividade).

O Parque dos Sonhos

O Hotel Fazenda Parque dos Sonhos reúne 10 atividades de aventura e natureza numa área de 400 mil m2. Lá tem de tudo: restaurante, lanchonete, loja, piscina coberta aquecida, saunas seca e úmida, salão de jogos e loja. São 20 apartamentos e 10 chalés, totalizando 110 leitos.

Ele está localizado no vale do rio Cachoeirinha, na divisa entre os Estados de São Paulo e Minas Gerais, na Serra da Mantiqueira. O Parque está a 15 quilômetros da cidade de Socorro (SP), a 22 km de Bueno Brandão (MG) e a duas horas São Paulo (140 Km). O trajeto até lá é em estrada de terra, fique atento ao seu carro, faça manutenção preventiva para ver se está tudo ok.

O Hotel Fazenda Parque dos Sonhos tem diversos perfis de visitantes: amantes da aventura e da natureza, pessoas que nunca praticaram turismo de aventura e lá experimentam quase todos de uma vez só, praticantes que querem treinar várias modalidades num mesmo dia, alunos de excursões escolares (há programas educacionais especiais a eles) ou ainda o público corporativo, dos treinamentos empresariais realizados no local.

O Parque também possui várias atividades de Turismo Rural como passeio de trator pela fazenda, cavalgada, trilhas ecológicas, animais, plantações de café, cana-de-açúcar, diversas árvores frutíferas e horta orgânica. Além das atividades de aventura, o local conta com uma piscina de pedra com água natural, mirante, quiosques, piscinas naturais com cascatas e queda d’água em forma de ducha e uma praia à beira da Cachoeira dos Sonhos e mais 5 cachoeiras espalhadas pelo parque, como a cachoeira da Pedra Grande com 80 metros de extensão, além de trilhas pela Mata Atlântica.

Natureza
Todas as atrações do Parque dos Sonhos foram construídas respeitando os limites da natureza. As ações seguem critérios sob a ótica de preocupação e preservação do local, como a ação que reflorestou a mata ciliar do rio Cachoeirinha. Todas as trilhas são demarcadas e auto-guiadas, para que a passagem constante não alargue o trajeto. Há diversas lixeiras por toda a área do parque e programas especiais de educação ambiental para os alunos que visitam o local.

Acessibilidade
Além da prática do Turismo de Aventura adaptado, todo o Hotel Fazenda esta preparado para receber pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. São várias atividades de aventura como rapel, tirolesa, bóia-cross, arvorismo, canoagem, entre outras, adaptadas para atender as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Como exemplo o local possui uma cadeira para trilha de apenas uma roda que é guiada por dois condutores para que os deficientes possam fazer trilhas mais fechadas, onde não é possível entrar com cadeira convencional. Outra particularidade é a cadeirinha de tirolesa adaptada onde até um tetraplégico pode atravessa o vale a 140 metros de altura por aproximadamente 1 km de extensão.

O hotel possui sinalização horizontal e vertical como piso tátil, cardápio e mapa em braile, rampa de acesso, banheiro adaptado, estacionamento privativo e todas as acomodações adaptadas. O hotel é certificado em Acessibilidade em Edificações Hoteleiras seguindo a norma NBR ABNT 9050 e recebeu a premiação pelo 1º lugar conquistado pelo MPE do SEBRAE do estado de Minas Gerais em 2012.

Atrações do Parque:

Tirolesas: Como o parque está cravado num vale, todos os desníveis foram aproveitados para construir oito tirolesas.

  • Tirolesa do Pânico: é a descida mais longa, com aproximadamente um quilômetro de extensão. Nela o visitante faz um passeio panorâmico pelo vale e parque. É quase 1 minuto de descida. Do ponto mais alto, os cabos estão a aproximadamente 140 metros de altura. A tirolesa é tão alta que o “base-jumper” Sabiá já saltou dela. Essa tirolesa também integra o Circuito Radical criado para integrar três tirolesas (Pânico, Espanto e Calafrio).
  • Tirolesa do Espanto: são 400 metros de extensão e 50 metros de altura aproximadamente
  • Tirolesa do Arrepio: são 250 metros de extensão e o diferencial está na hora da saída, onde o praticante precisa saltar de uma rampa, a uma altura de 50 metros do chão.
  • Tirolesa do Calafrio: com 200 metros de extensão, a 35 metros de altura do chão, ela é bastante panorâmica devido à sua baixa velocidade, passando pelo interior de uma mata.
  • Tirolesa dos Sonhos: fica a apenas 10 metros do chão é a tirolesa ideal para as crianças. Tem 100 metros de extensão.
  • Tirolesa Kids: Fica a 3 metros do chão é a tirolesa ideal para as crianças. Tem 80 metros de extensão.
  • Tirolesa Voadora: uma experiência única, com aproximadamente um quilômetro de extensão onde a pessoa desliza com o corpo na posição horizontal sentindo a sensação de estar voando.

Arvorismo: por meio de estruturas montadas, o visitante passeia pelas copas das árvores, atravessando pontes, passarelas, cabos, tudo a alguns metros do chão. São dois níveis de dificuldade:

Percurso mini (também conhecido como Arvorismo Kids): 200 metros de percurso, com nove atividades mais a Tirolesa dos Sonhos.

Percurso completo: 800 metros, 13 obstáculos mais as tirolesas do Calafrio e Arrepio.
Rapel: há três opções de descida, uma com 50 metros e outra com 30 metros de altura no positivo. E a novidade agora é o rapel de 30m todo em negativo.
Escalada: são duas escaladas: da Fonte (5 metros) e da Pedra Grande (50 metros).
Caminhada: são cerca de 5 quilômetros de trilhas dentro e fora da área do parque, passando por matas, cachoeiras, cascatas, numa região entremeada por vales e montanhas e em contato com animais e aves típicas da Mata Atlântica.
Espeleoturismo: a formação rochosa de toda a região é constituída por rochas graníticas e as grutas existentes são resultados da erosão causada pela ação do rio que passa pelo interior das grutas. São cerca de 150m de percurso, com duração de aproximadamente uma hora, sendo obrigatório o uso de capacete.
Skate Maluco: Descida em um percurso de 100 metros de extensão em cima de um skate preso a cordas de segurança.
Fora-de-estrada: uma caminhonete 4X4 realiza passeios dentro do parque, levando os turistas até a Pedra Grande, no ponto de partida da tirolesa de 01 Km. Também é feito um roteiro para conhecer as cachoeiras existentes no local.
Canoagem (barco inflável para duas pessoas): praticada no Rio Cachoeirinha, num percurso de 1km com corredeiras e pequenas cachoeiras. A atividade é acompanhada por condutores, fornecendo os equipamentos necessários.
Bóia-cross: o visitante desce o Rio Cachoeirinha sentado numa bóia, o que torna a operação mais estável. Pode ser praticado por crianças acima de sete anos. A atividade é acompanhada por condutores, fornecendo os equipamentos necessários.

Serviço

Parque dos Sonhos
Onde: Caminho Turístico do Rio do Peixe – Estrada de Varginha, km 7
Telefones: (19) 3955-2870, (19) 3955-0184 e (19) 3895-4696
Site: www.parquedossonhos.com.br

* O Hi-Mundim viajou a convite do Comtur (Conselho Municipal de Turismo) e da Banca de Notícias Comunicação