Fox Bluemotion: economia é com ele!


Preocupação com a natureza e consumo consciente. Atitudes cada vez mais recorrentes no nosso dia a dia e que cada vez mais são implementadas setor automotivo. Grande parte disso se deve ao programa Inovar Auto, implantado no Brasil no início deste ano, que incentiva a produção de veículos mais econômicos e seguros. Muitos fabricantes, entre eles a Volkswagen, já oferecem veículos bem mais econômicos por aqui.

A montadora enviou ao Hi-Mundim o Fox Bluemotion, com o novo motor três cilindros. Passamos uma semana com o carro. Duas portas, a versão testada por nós estava equipada com direção com assistência eletro-hidráulica (item oferecido de série no modelo), que reduz o consumo energético do veículo em 3%, em relação ao Fox 1.0l equipado com direção hidráulica.

O destaque é motor, um novo três cilindros 1.0l totalflex, da família EA211. Fabricado em São Carlos, com ele, o Fox BlueMotion torna-se o primeiro Volkswagen para o mercado brasileiro a contar com motor de três cilindros, além de ser o modelo mais econômico da marca no Brasil. Sua potência máxima é de 75 cv (55 kW) a 6.250 rpm, quando abastecido com gasolina, e de 82 cv (60 kW) à mesma rotação, com etanol.

E nós percebemos essa economia ao circular com ele pelas ruas de São José do Rio Preto e por outras cidades da região. Fomos até Catanduva, no restaurante Grill 77, que oferece churrasco portenho (leia em Gastronomia) e também Mendonça e Adolfo, às margens do rio Tietê. A escolha de fazer as fotos e o test drive até o rio Tietê não foi à toa, já que aqui na região Noroeste de São Paulo, ele tem águas limpas e liberadas para o banho. Tudo a ver com sustentabilidade. Nesse período de uma semana, rodamos cerca de 400 quilômetros.

Seguindo as orientações do sistema Eco Confort, que dá dicas no computador de bordo de como melhorar a economia na hora de dirigir, calculamos que a média de consumo do modelo durante uma semana de teste foi de cerca de 15 km/l (trechos urbanos e de rodovia). Ele estava abastecido com gasolina, que, de acordo com a marca, proporciona redução de consumo energético de aproximadamente 16%. Quando está com etanol, são 17% de redução.

Outro ponto que auxilia na redução de consumo é o material do motor, que possui bloco e cabeçote feitos de alumínio. Comparado a um motor de mesma cilindrada, mas com quatro cilindros, o novo EA211 é 24 kg mais leve.
Uma outra novidade é que este é o primeiro motor do País nessa faixa de cilindrada a receber sistema de partida a frio que dispensa a utilização do tanque auxiliar para gasolina.

O Fox 1.0l BlueMotion junta-se aos modelos Polo 1.6l BlueMotion, Gol G4 Ecomotion e o Novo Gol e o Novo Voyage equipados com o pacote BlueMotion Technology. Modelos diferentes, de segmentos distintos, com um mesmo propósito: a mobilidade sustentável.

Na estrada

O Fox enviado pela Volkswagen era um modelo com duas portas (está disponível também com quatro portas), equipado com direção eletro-hidráulica, airbag duplo, freios ABS, com EBD, computador de bordo e o sistema ESS. Todos estes itens são de série. Além disso, ele também estava equipado com o I-System (que permite configurar diversas funções do veículo), sistema Eco-Confort (que emite uma série de mensagens no painel orientando o motorista a dirigir de forma mais econômica), controles de ajuste de som no volante e até sensor de estacionamento. Com essa configuração, o Fox Bluemotion custa R$ 33.020.

Quando fomos até Catanduva, cerca de 60 quilômetros, enfrentamos um calor de 36 graus. O modelo anda bem, mas nem pense em abrir as janelas. O ruído é intenso e a pressão do vento incomoda motorista e passageiros. Mesmo sem ar-condicionado, o jeito foi fechar os vidros e enfrentar o calor.

Além de não ter ar-condicionado, o modelo também não oferecia vidros, travas e retrovisores elétricos e nem alarme. Para equipá-lo com esses itens, é preciso desembolsar R$ 4.120, pelo pacote conforto completo. Portanto, era preciso lembrar toda vez: “fechou o vidro?”, “Trancou o carro?”. São itens de conforto que facilitam o dia a dia. O porta-malas é pequeno, tem capacidade para 260 litros e, para abri-lo, só com o auxílio da chave (esta não tinha os controles de abertura).

Dirigir pela SP-310, a rodovia Washington Luís foi tranquilo. O câmbio tem engates precisos e a direção eletro-hidráulica proporciona precisão nas manobras. Em alguns pontos de subido, no entanto, lembrávamos que tratava-se de um modelo 1.0, sendo necessário diminuir a marcha para retomar o fôlego do motor.

No trajeto para Adolfo e Mendonça, rodamos cerca de 140 quilômetros pela BR-153 e por rodovias vicinais. Com o clima mais ameno, rodas no Fox Bluemotion sem ar-condicionado não foi tão traumático. Ao final do test drive tivemos duas recompensas: o nível de combustível no tanque continuava alto e o visual do rio Tietê, limpo e saudável.

*A Volkswagen do Brasil cedeu o Fox Bluemotion para teste