Barretos aposta nas águas termais para ter turismo o ano inteiro

Barretos Country Thermas Resort
Águas termais devem triplicar número anual de turistas em Barretos

Conhecida internacionalmente pela tradicional Festa de Peão, Barretos, no interior paulista, caminha para se consolidar como destino capaz de atrair turistas o ano inteiro e não somente nas duas semanas de rodeio. Para isso, o município, distante 100 quilômetros de São José do Rio Preto, aposta nas águas termais.

O desafio passa pela expansão do Barretos Country Thermas Park, complexo de resort e parque aquático – único com temática country do país – e que há três anos foi adquirido pela companhia de turismo GR GROUP, considerada uma das principais do Brasil.

Até 2025 o resort deve saltar de 72 para 500 apartamentos, o que vai ampliar a capacidade inicial de 210 para 1,8 mil hóspedes.

O plano já está sendo executado. Em dezembro de 2019 foi entregue a primeira torre da expansão, com 74 unidades. Para julho deste ano está programada a inauguração da segunda torre, com mais 74 apartamentos, totalizando 218.

“O objetivo é desenvolver Barretos como destino de férias para além da festa do peão e construir um calendário anual para o turismo na cidade”, diz Rodolfo Rezende, vice-presidente de Marketing e Vendas do GR GROUP.

Até 2025 complexo terá 500 apartamentos e capacidade para 1,8 mil hóspedes

Três vezes mais visitantes

Barretos recebe, anualmente, em média, 1 milhão de turistas, dos quais 80% correspondem à festa do peão. A ideia do Barretos Country, após a expansão, é triplicar o número de visitantes na cidade por ano. Hoje em dia o complexo registra um fluxo de 550 mil pessoas por ano, considerando os hóspedes e as pessoas que acessam o parque aquático pelo modelo day-use.

O otimismo com o desenvolvimento de Barretos como destino de férias para o ano inteiro se deve também às próprias características do Barretos Country, que tem suas atrações voltadas para o lazer e o entretenimento familiar. A fazendinha, por exemplo, é uma das mais visitadas, sendo um sucesso entre as crianças.

468 x 60 IMU Full Banner

“O Barretos Country se beneficia muito do turismo de curta distância, que é uma realidade hoje, mas acreditamos que continuará crescendo em um cenário pós-pandemia. E a maioria de nossos visitantes vem de São Paulo, para quem esse contato mais próximo com os animais, com a vida na fazenda, costuma ser um atrativo a mais”, afirma Rezende.

Além das águas termais, complexo tem atrações como a Fazendinha

Investimento seguro

O resort também opera no sistema de multipropriedade, em que o investidor adquire uma fração do apartamento e pode tanto utilizar algumas semanas no ano como casa de férias para ele e a família, quanto disponibilizar o apartamento no pool de locação do hotel.

O sistema de compartilhamento, já bastante maduro na América do Norte e Central, chegou ao Brasil há dez anos e vem crescendo exponencialmente desde então. “Atuamos com esse sistema desde sua chegada ao país, com 17 empreendimentos já entregues de Norte a Sul do Brasil”, destaca Rezende.

Dobradinha com Olímpia

Sediado em Goiânia, o grupo começou sua história focado em destinos turísticos. Os primeiros empreendimentos foram em Caldas Novas e Rio Quente. E agora pretende repetir o fórmula no noroeste paulista.

Barretos está a 50 quilômetros de Olímpia, cidade nacionalmente conhecida pelo turismo de águas quentes, com quase 3 milhões de visitantes por ano, onde o GR GROUP, ao desembarcar na cidade em 2010, idealizou o Wyndham Olímpia Royal Hotels, maior resort do país, com 960 apartamentos.

O objetivo, segundo Rezende, é repetir o sucesso da dobradinha Caldas Novas-Rio Quente, colocando Barretos-Olímpia na rota do turismo na região. A expansão da rede hoteleira de Barretos amplia a possibilidade de receber grande parte dessa demanda gerada por Olímpia.

“É uma viagem de cerca de meia hora de carro. São duas cidades próximas e com características semelhantes em relação ao turismo termal. Enxergamos para Barretos e Olímpia algo parecido com o que aconteceu com a dobradinha Caldas Novas e Rio Quente, em Goiás. E quem ganha é o turista, que passa a ter mais de uma opção de passeio”, diz.