Seis desertos para conhecer na América do Sul

Visual de Lençóis Maranhenses, no Brasil (Foto: Reprodução/Wikimedia)

Aproximadamente 20% da superfície continental da Terra é formada por desertos. A informação é do Serviço Geológico do Brasil. São regiões quase desabitadas, que têm como principais características as temperaturas instáveis e a ausência de água. Mas são essas adversidades, que tornam os desertos tão atraentes, pois oferecem cenários incríveis em um ambiente de muita aventura.

Quando falamos em desertos, logo vem à cabeça o deserto do Saara, o segundo maior e mais quente; o deserto da Antártida, o maior, mais frio e mais seco do mundo, o da Arábia e o da Nabíbia, na África. Mas sabia que não é preciso ir muito longe para fazer uma viagem até um desses lugares? Aqui na América Latina existem destinos com características únicas. E até mesmo no Brasil é possível experimentar essa atmosfera, embora não exista um “deserto verdadeiro” no País.

A primavera e o outono são as melhores épocas do ano para fazer esse tipo de viagem, já que as temperaturas são mais amenas. As dicas são da momondo, buscador de passagens aéreas e reservas de hotéis

Seis desertos para conhecer na América do Sul

Lençóis Maranhenses

Foto: Reprodução Wikimedia

Foto: Reprodução Wikimedia

Para quem deseja conhecer esse tipo de paisagem, esse é, sem sombra de dúvidas, o destino mais acessível. O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses oferece aventura e contemplação da natureza. E apesar da semelhança, a região não é de fato um deserto, já que registra a mesma quantidade de chuvas de cidades próximas, como Recife e Fortaleza. Entretanto, isso não diminui o impacto de se ver diante da imensidão das dunas e da beleza das lagoas. Localizado a 257 km de São Luís, o parque é normalmente acessado de Barreirinhas, pequena cidade que abriga a maioria dos restaurantes e bares locais. A melhor sugestão é contratar um passeio de jipe para o dia e ficar hospedado em uma das belíssimas pousadas durante a noite.

Atacama – Chile

Foto: Reprodução Wikimedia

Foto: Reprodução Wikimedia

Considerado o lugar mais seco do mundo, oferece uma paisagem singular e verdadeiramente impressionante. Localizado a cerca de 1.600 km da capital chilena Santiago, San Pedro do Atacama preserva um ambiente rústico e pitoresco com suas ruas de terra e casas simples. A quantidade de atrações imperdíveis impressiona. Na Laguna Cejar, conhecida como “Mar Morto Sul-americano”, é possível flutuar na água e admirar a mudança de cores do local conforme o entardecer. Já o Valle de la Luna e Valle de la Muerte são obrigatórios para todo turista. Outra opção bacana é conhecer o sítio arqueológico da Aldea de Tulor, que guarda ruínas de mais de três mil anos de seu povoado.

Patagônia – Argentina

Foto: Reprodução Wikimedia

Foto: Reprodução Wikimedia

O maior deserto das Américas também é grande em variedade de atrações e belezas naturais inesquecíveis. A cerca de 3.000 km do centro de Buenos Aires, a região é normalmente explorada inicialmente por Bariloche e suas estações de esqui. A cidade é a ponte de travessia dos lagos andinos que vão até o Chile e oferece uma das vistas mais emblemáticas do continente, passando pelo Lago de Todos los Santos, onde é possível apreciar o vulcão Osorno, e as cachoeiras do rio Petrohúe. Em seu lado leste, a Patagônia ainda conta com uma interessante vida animal, como pinguins e imensas orcas. Para quem curte esportes de aventura, aqui também é o lugar.

Salar de Uyuni – Bolívia

Foto: Reprodução Wikimedia

Foto: Reprodução Wikimedia

Relativamente distante da capital La Paz (localizada a cerca de 600 km) e conhecido como “deserto de sal”, o local é sempre garantia de belíssimas imagens, com sua imensa placa branca de sal como asfalto e o céu como horizonte. A fusão desses elementos cria a ilusão de infinito, que virou o cartão postal da região. Ponto de partida do deserto, a pequena cidade de Uyuni é charmosa e bem equipada com pousadas e restaurantes. O caminho normalmente percorrido por agências de viagem inclui Colchani, que tem um museu, e a Isla Incahuasi, que impressiona por seus enormes cactos de mais de dez metros de altura.

Tatacoa – Colômbia

Foto: Reprodução Wikimedia

Foto: Reprodução Wikimedia

Não muito comum na rota turística tradicional, o local é um verdadeiro oásis para quem busca tranquilidade, além de oferecer preços bem convidativos. Localizado a pouco mais de 300 km de distância de Bogotá, o deserto impressiona por sua bela rusticidade. Os passeios imperdíveis são o Labirinto, formações rochosas em que se pode caminhar por trilhas, o Piscilodo, espaço com três piscinas naturais, uma delas de lama terapêutica, e o Observatório Astronômico, que oferece uma impressionante visão das estrelas. Para a experiência ser ainda mais inesquecível, uma sugestão é fechar com um dos campings locais e acampar em pleno deserto.

Chihuahua – México

Foto: Reprodução Wikimedia

Foto: Reprodução Wikimedia

Considerado o deserto com maior biodiversidade da Terra, se entende pela região da fronteira do México com os Estados Unidos. Extenso, possui uma interessante vida animal, que vai de ursos à onças. Uma de suas portas de entrada é o Estado mexicano de mesmo nome, localizado a mais de 1.200 km da capital, que impressiona principalmente por seus sítios arqueológicos, como o de Paquimé, considerado patrimônio mundial pela Unesco. Com tempo muito quente e seco, a região permanece praticamente intocada e oferece uma das melhores experiências para quem quer sossego.